QUAL É A SUA VERDADEIRA NECESSIDADE?

QUAL É A SUA VERDADEIRA NECESSIDADE?


Tenha muitos amigos, bata fotos legais, saia bastante, viaje, passeie, vá para baladas, faça churrasco todo fim de semana, crie laços, fique só, faça sexo todo dia, beba, use narguilé, ouse, produza, coma comida saudável, pinte o cabelo de azul, compre de grifes famosas (não desmerecendo que essas, podem ser suas necessidades reais).

Conservas culturais e crenças fazem parte da nossa vida e influenciam nosso modo de pensar e agir. Existe por aí um manual de como você deve ser, dependendo da moda do momento.


E nem venha com chorumelas! Em algum momento você já buscou um manual.


O custo de não conhecer as nossas próprias necessidades é que muitas vezes deixamos de perceber aquilo que precisamos de verdade e começamos a desejar coisas que, aparentemente e momentaneamente podem supri-las.

E quais são nossas verdadeiras necessidades? Alimento, água, descanso, abrigo, expressão sexual (no seu ritmo), harmonia, segurança, empatia, solidão, comunhão, compreensão, amor, etc.


 E quão fugaz pode ser a necessidade de preencher uma necessidade real não preenchida, quiçá reconhecida e validada por nós mesmos?!


Recentemente, descobri que uma das minhas necessidades, era estar sozinha por alguns momentos. Meu esposo foi fazer uma viagem a trabalho de uma semana, e eu percebi que tenho a necessidade de ficar sozinha e em silêncio, assim como adoro ter momentos a dois e com amigos. Eu e ele temos muito em comum, compartilhamos da mesma profissão, gostamos das mesmas coisas, ou seja, conversamos muito. Mas, eu percebi que as vezes quero estar em silêncio, isso também estimula minha criatividade e me faz bem.

Percebi também, que as minhas necessidades de cinco anos atrás não são as mesmas de hoje, pelo menos nem todas. E acredito que isso confunda as pessoas, exige mudança, adaptação, abandono de alguns hábitos e talvez de algumas relações.


Dia desses, uma amiga me perguntou como eu tinha encontrado meu caminho e satisfação, principalmente no sentido amoroso, ela estava passando por um divórcio. Eu falei para ela que tudo na minha vida começou a dar certo, quando eu identifiquei as minhas necessidades reais. Um pouco diferente do que meus pais e alguns familiares queriam para mim.

No amor, depois de alguns obstáculos eu identifiquei o quê e como queria e não desisti. Está dando certo =D


Há um tempo atrás, doze anos mais ou menos, eu já tinha uma profissão e um bom emprego aos olhos das pessoas, era gerente comercial de uma empresa com renome, mas eu via que, naquele momento já não tinha sentido e não supria minhas necessidades, identifiquei o que queria e fui atrás, fiz acontecer. Fui cursar uma outra graduação, mudar totalmente de profissão e enfim, cá estou, algum tempo satisfazendo e vivendo minha vida com sentido e propósito. Não foi fácil, por algum tempo a sensação era que eu tinha regredido, e volto a escrever: não desistir é importante.


Em outros momentos eu precisava produzir muito, agora minha necessidade é descansar muito. Percebi que trabalhar demais, me impede de identificar, planejar e agir de acordo com minhas vontades, com a vida que desejo e que estou vivendo.



Sabe, eu acredito que as necessidades humanas e não os nossos desejos de consumo, são a base do desenvolvimento humano. Mas, percebo que cada vez mais as pessoas estão se perdendo de si.


E para finalizar, soando até um pouco egoísta, eu não escrevo para você, em primeiro lugar eu escrevo para mim, porque isso me satisfaz. Em segundo lugar, acredito que pode te ajudar, se você se identificar comigo em algum aspecto.

Sinto muito, mas se você ousou ler este ensaio até o final imaginando que ia te dizer qual as suas necessidades, lamento. Só você pode descobrir. Hoje, o meu trabalho e de muitos psicólogos é ajudar as pessoas a descobrirem o que desejam, nesse caso, te recomendo procurar essa ajudinha que vai fazer uma grande diferença em toda vida que te resta.


O que eu deixo para você é uma frase clichê: Somos a mudança que queremos ver no mundo, na política, na família, etc. Estamos vivendo uma mudança de paradigma, uma mudança de fazer desse planeta que é nossa casa um lugar viável e possível para se viver. Assim como eu, você pode ter uma vida sustentável, em conexão com os seres humanos e não humanos.


#Fica a dica que deu certo para mim:


  • Identifique o que não está bom: trabalho, amigos, ambiente, relacionamentos.


  • Planeje como vai eliminar: Verifique o que e como vai abdicar de algumas coisas, isso requer tempo, as vezes dinheiro, sentimentos de luto e tristeza.


  • Faça acontecer: Se necessário, procure ajuda de um psicólogo, esse é o profissional especializado para te ajudar, nem sempre a gente acerta de primeira, então procure referências.


  • Acredite: Acreditar estimula a neuroplasticidade do cérebro, será meu próximo artigo =D.


  • Não desista: O processo é o caminho, ele vai te proporcionar algo que só você pode adquirir: maturidade!!


  • A grande dica: Nossas reais necessidades são descobertas na infância e adolescência, por questões da vida, deixamos morrer. É um processo que chamamos de embotamento, um botão de rosa que ao invés de florescer vai se fechando com o passar dos anos. Mas, tem solução!


Quando não conseguimos aplicar ou descobrir nossas verdadeiras necessidades, podemos ter sintomas de depressão, ansiedade, estresse, até ter atitudes que vão em desacordo da nossa essência.


Até a próxima=D